IDANHA-A-NOVA: DA PACATEZ DAS TERRAS À ADRENALINA DAS ALTURAS

De Idanha-a-Nova partimos à descoberta da Beira Interior: Penha Garcia, Monsanto, Idanha-a-Velha, Monfortinho.

Não estás a ver bem onde fica Idanha-a-Nova no mapa? Nós ajudamos-te: que fica na Beira Interior já atrás dissemos, mas podemos acrescentar que fica no distrito de Castelo Branco, no Parque Natural do Tejo Internacional, à beirinha de Espanha e que por aqui se realiza o ‘Boom Festival’. Já estás a localizar melhor?

Depois de veres onde Idanha-a-Nova fica no mapa, vem mas é ver a vila cá. E reserva pelo menos três dias. Idanha é pequena, mas à volta, num raio de 50 quilómetros, há muitas terras e lugares bonitos para visitar. E, querendo, algumas aventuras.

Nós, como é costume, começamos por pousar as malas na Pousada de Juventude. Em Idanha, ela fica bem na zona histórica. É um edifício antigo, todo recuperado e decorado de forma moderna no interior.

Mesmo ao lado, tens a Igreja Matriz e o que resta do Castelo, que se pensa ter sido contruído por D. Gualdim Pais, da Ordem dos Templários, em 1187.

A panorâmica é espetacular, a perder de vista, para a campina de Idanha e as suas terras férteis, outrora conhecidas como “o celeiro da Beira Baixa”. Aqui a vista é sempre bonita, mas ao fim-da-tarde é especial. Se puderes, vê um pôr-do-sol e tenta localizar, à volta, onde fica “a aldeia mais portuguesa de Portugal”. Sabes qual é? Já lá vamos! Aproveita para ver também a Falha do Ponsul (um gigantesco degrau na paisagem).

Para já, queremos conhecer melhor a vila. Descemos até à Câmara Municipal. Ficamos a saber que foi construída pelo mesmo autor do Cristo-Rei durante o Estado Novo. Fixamos, depois, o olhar no Palacete das Palmeiras, cujo verdadeiro nome é Palácio Hermínia Manzarra. É um dos muitos solares bonitos que encontramos em Idanha e hoje funciona lá a Escola Superior de Gestão. Apesar de ainda não estarmos cansados, sentamo-nos numa das esplanadas ali à volta, perto do simpático jardim, a absorver as boas energias da vila.

Quando decidimos continuar o passeio, seguimos pelas ruas e vielas ao encontro dos antigos fornos de cozedura de peças de barro (era lá que os antigos guardavam dantes os seus bens preciosos, como o azeite).

A visita à vila não fica concluída sem uma entrada no particular edifício que alberga o Centro Cultural Raiano, onde há uma exposição permanente sobre a evolução da agricultura e dos seus utensílios.

Depois de explorarmos Idanha, é altura de partir à descoberta dos arredores. A aldeia mais portuguesa de Portugal fica a cerca de 25 quilómetros de distância e a um pouco mais de 750 metros de altitude. Monsanto (tinhas adivinhado?) surpreende com os grandes penhascos que foram aproveitados pelos habitantes para servirem de parede às suas casas. Também de lá do alto, do Castelo, a vista é qualquer coisa de espetacular.

E por falar em alturas, quem é fã de escalada pode deliciar-se em Penha Garcia, a 35 quilómetros de Idanha, onde há também um belo castelo para se ver. As rochas que esperam os mais destemidos chegam aos 45 metros de altura. E quem preferir ficar apenas a ver os outros escalar não se desilude com o cenário, onde cabem uma piscina natural, quedas de água e, aqui e ali, um velho moinho a aproveitar a água do rio Ponsul.

Mas há adrenalina mais perto de Idanha. Se preferires desportos náuticos a escalada, então segue a direção da Barragem Marechal Carmona, a apenas seis quilómetros de distância. Para o roteiro pelas aldeias históricas da região ficar completo, dá também um salto a Idanha-a-Velha e vê a sua Sé-Catedral.

No final, se tanta adrenalina pedir ao corpo descanso, não te esqueças que as Termas de Monfortinho estão ali bem perto e programas para relaxar não faltam. Se és daqueles para quem descanso é sinónimo de bem comer, na Beira Interior não vais ter problemas. Pergunta por criadilhas, espargos silvestres e tortulhos e delicia-te.

Pousada de Juventude de Idanha-a-Nova
Preço: Desde €11 por noite com pequeno-almoço incluído

2018-02-27T18:43:13+00:00

Leave A Comment